Eutanásia...

“Eu me matei.
Sim, eu me matei.
Não foi um acidente.
Não foi por causa de um amor.
Foi por minha causa.
Eu estava exausta da vida.
Estava exausta desse estresse por tudo.
Então eu decidi ir.
Pessoas que dizem me amar.
Por favor, não chorem.
Vocês não fizeram o suficiente enquanto eu estava viva.
Então, não chorem.
Apenas sigam sua vida.
Não me joguem flores, nem me visitem.
Apenas me esqueçam.
Eu me fui porque não tive uma retribuição de tudo o que fiz.
Me fui porque eu nunca estava satisfeita com nada.
Me fui porque eu fui um problema, um peso, uma perturbação.
Eu tive ataques de tudo o que se possa imaginar.
Eu odiei e amei demais.
Por isso eu decidi ir.
E fui sem saber qual era o meu propósito nessa terra.
Talvez, meu propósito, fosse passar por essas experiências cansativas.
Ou simplesmente nunca tive um.
Só vim e tive que ir embora por mim mesma.
Porque eu sei que nunca iria conseguir mudar
Como sei que nunca teria a felicidade plena.”
 
(A Sonhadora)