Prólogo: Ela...


  Era uma vez um futuro indeciso. Um futuro que estava a ser definido por um dilema. E esse futuro dependia apenas de uma pessoa. Mas vamos falar um pouco dela...
  
  Indecisa ela, e muito. Pensa demais e nunca chega a uma conclusão certa. Esta sempre em cima do muro e quando resolve pender pra um lado tudo sai errado. Então concluímos que esse futuro dela não vai chegar tão cedo.
  
  Mas a história é essa, e começou de uma forma tão inesperada. Foram tudo por palavras de coragem ouvidas por ela e que adentraram seu coração. Mas ela sabe que lá no fundo tudo tinha um propósito.

  
  E ela? Essa pessoa? Ah, é uma futura mulher, menina ainda mesmo com a maior idade. Jeito de bebê, rostinho de criança e atitudes triplas. Bipolaridade alta demais pra imaginar que seja feliz. Mas ela tem um coração grande e um amor maior ainda, isso é verdade e é bom e ruim, pois pode ser isso que esteja deixando-a num dilema pro seu futuro, mas isso é um passo de cada vez. Enquanto isso, ela sorri pra quem a deixa feliz e se cala pra quem a deixa triste.

Espelho da alma...



Um tempo onde em vago conselho
Presente no vazio do passado
Em sombra refletida no espelho,
Entrega-se ao futuro nublado.

Um sonho incerto jamais visto,
Reflexo de uma alma partida
Dos desejos ao pensamento misto
Em coma na mente já esquecida.

Através de uma palavra dita,
Levou à morte tudo obtido,
Como em uma triste dor sofrida
De delírios por tempo vivido.


   

    Autor: Diogo Pereira

O erro...



  - Talvez você não vá entender, eles não vão entender, talvez não se arranje ninguém que entenda.

  Ela sempre foi uma menina complicada, difícil, bruta e meiga e ainda errada. Toda errada.  Mais errada que um nó dado por uma criança.

  Mas esses erros no fundo são dela, é como ela é.
Ah, ela é um erro!
Sim é, mas é o erro que alguém se apaixona e quer tomar pra si e não largar mais.

  Mas talvez isso tudo tenha um motivo. Um motivo dela. O motivo. Mas ninguém nunca soube, não sabe e nunca saberá, pois ninguém nunca a entendeu, não entende e nunca a entenderá.

  Ela é tão fácil sabe, só faltava vir com um manual. A menina simples, a que qualquer pessoa queria. Mas...
É esse lado quase ninguém conhece e quem conhece quer ela pra si...

  Vida injusta não é? Vida sem vida. Sem um sentido só.
Mas ela é assim. Há coisas, há erros que pra ela não são erros são um motivo a mais de ser feliz.

  É como largar tudo de mão ou ter as duas coisas ou simplesmente deixar rolar sem pensar demais, só ser feliz. Só viver os dias como se fossem os últimos.
Talvez seja isso ou não.

  Mas é ela. O erro! A errada! A maluca! A menina! A única....


  A única que um dia vai embora e todas esses erros vão acabar e assim, talvez a felicidade de todos volte.

O desejo...

  

  Um passo...

  Apenas um passo para que tudo desmorone em minhas mãos.
Não que seja tão fácil assim, mas é difícil de controlar, pois a vontade virou desejo e vai nos corroer até cessarmos tudo que, hoje, chega a transbordar.

  Com o olhar que me hipnotiza e faz com que eu me aproxime mais.
Esse olhar, de olhos verdes claros que ao me focarem me derretem por dentro sem nem ao menos um toque se quer.

  E isso vem junto com um cheiro... Um aroma de êxtase com um toque de tudo de bom que pode existir.

  Com um corpo aonde mãos fortes e macias te agarram e te jogam contra a parede. Te prendem e depois deslizam pelo seu corpo fazendo com que cada pelo de seu corpo arrepie vagarosamente te dando uma sensação mais forte.

  Isso tudo em uma alma só. Onde se olha e vê que nada de ruim existe até você tocá-la. Então vai sentir o perigo...

  Ah, esse perigo pecador que nos deixa com o coração acelerado, aonde a adrenalina faz moradia quase fixa e anda deixa rastros.

  Um perigo aonde tudo é misturado. Desejo e êxtase total. Que te faz parar de respirar e te deixa  imune de qualquer pensamento, que não seja fazer o que quer e quando quiser.

  Tudo se resume a um passo. Um passo perigoso e que pode destruir sua alma com algo bom.

  Um passo pequeno que causa uma grande catástrofe. Que te deixa de quatro e faz você querer mais.

  É mais um passo que você vai querer repetir. Um passo que tem aroma de desejo, olhos verdes, pele branca e uma voz lisa e clara que vai fazer com que você se entregue antes mesmo de pensar, que sai de uma boca de lábios carnudos e rosados que você olha e deseja toda aquela boca em seu copo quente e solitário.
 
  Apenas um desejo infame...

-- Real Life.........

3° - O primeiro anjinho...


  


  E quando você consegue enxergar a realidade de uma vida inteira, aprende que nada é difícil ou fácil, tudo é simplesmente do jeito que você olha, do seu ângulo de visão de alma. E eles enxergaram a realidade com um foco, uma meta, um desejo e um sonho que foram construídos aos poucos.
  
  E assim, numa manhã de quarta-feira, a mulher, linda como deveras, acordou e se sentiu enjoada, acontecimento inesperado para ela que tem manhãs muito normais, mas estava estranho. Ela correu para o banheiro desesperada e não tinha explicação para aquele acontecido, a verdade era que tinha, mas ela não quis cogitar essa explicação.
  
  Se tornou impossível. Seu marido chegou em casa na noite do mesmo dia e ela mais uma vez no banheiro a colocar nada que tinha na barriga para fora. Ele a olhou com um olhar apreensivo e preocupado como sempre faz quando está preocupado com “sua menina”.
  
  Ela o olhou e pediu ajuda só com o olhar. Ele foi até ela e a abraçou e disse uma única frase:

  “Médico amanhã de manhã sem falta, meu amor.”

  Ela não sabia o que dizer apenas assentiu com a cabeça.
  Na manhã seguinte foram ao clínico. Horas depois a notícia chega vagarosamente e nervosamente até eles. Ela está grávida! Essa notícia bateu forte em seus corações e suas reações e expressões foram indefiníveis.
  
  No carro até a casa, grande, bela e misteriosa, nenhum deles se pronunciava, mas se olhassem nos olhos de cada um dos dois via-se a felicidade e o sorriso que vinha de dentro. Viria um bebê. Um bebê do jeito que eles sempre sonharam. O herdeiro, o primeiro de 7 anjinhos.

2° - O início de pensamentos inacabados...


  
  O dia mal havia começado e eles já planejavam ficar ali deitados até a fome bater, já que nada mais importava ali além deles. Era o dia após a noite especial que tanto esperavam e além de estarem cansados a preguiça não os queria deixar. A vida de casados começava ali e o primeiro passo era não planejar nada só deixar o dia os levar.

  Mas tinha algo que eles queriam muito depois dessa noite tão especial a cansativa. Um anjo... Pensaram juntos. Talvez mais, porque o amor deles não tinha limite. Sorriram juntos e se abraçaram, ainda debaixo daqueles finos lençóis de ceda.

   Continuaram olhando para o teto branco e viram que o sol começava a esquentar então resolveram levantar.

- Vamos tomar banho?

  Sugeriu a moça, senhorita e agora senhora, casada, para seu marido que por ter acabado de acordar ainda estava tonto de sono. Ele sorriu e sacudiu a cabeça com um gesto afirmativo.

  Eles se levantaram vagarosamente no silêncio profundo que se fazia naquela casa aonde qualquer alfinete que caísse fizesse um barulho enorme. Não tinham mais vergonha um do outro mas também não eram acostumados a uma vida juntos todo o tempo. Eles sorriram e não pararam de sorrir.

  A água batia na pele deles e um arrepio corria em seus corpos, se abraçaram em meio a água gelada daquela manhã. Foram sorrisos e brincadeiras e risadas altas de coisas que ainda não acreditavam.

  Depois e um banho longo eles se secaram um ao outro. Ela vestiu uma longa blusa dele e ele colocou apenas uma bermuda fina de seda, e desceram para tomar café. Já eram dez horas da manhã e o dia deles mal havia começado. Bagunçaram, comeram e simplesmente voltaram pra cama.

  Eles pararam então, para perceber, que a felicidade reinava entre eles. Tudo era perfeito e sabiam que nem sempre seria assim. Mas o que importa? Eles brigariam, ririam, se amariam, brigariam novamente e se amariam mais ainda a cada dia que se passasse em suas vidas. Eles eram assim.

  E no meio daquele sol forte, entre lençóis, bagunças, beijos e abraços eles ficaram ali deitados, vendo filmes na TV e decidindo o que fariam pelo resto do dia. Quem os observasse ao lado de fora ou apenas olhassem a casa, sentiriam que o que havia de mais forte ali, era o amor.

1° - O começo de um futuro...


  


   Era uma vez, num futuro distante, uma casa extremamente enorme para o que os olhos de fora podem ver. Ela se destacava muito bem em uma rua aonde o silêncio tomava conta. Sua cor? Um branco mais brilhante que qualquer diamante do mundo e em todo o seu terreno, à sua volta, existia dois quintais enormes demais para apenas uma família.
  
   Mas todo o brilho e toda importância estavam dentro daquela casa enorme. Se fôssemos parar pra perceber o silêncio era o mais ouvido, mesmo que já fosse quase a hora do almoço, e mesmo assim ninguém havia acordado.
 
  Então vamos continuar a observar. Andar calmamente á cada canto da casa aonde tudo parecia magia. Tudo era branco e vermelho as cores do amor, por assim dizer a vida. Cada canto da casa, cada detalhe, tinha um toque especial e único. Tudo vibrava intensamente mas de um jeito leve e suave.

   O olhar que via tudo caminhou pela casa mais um pouco subindo até o segundo andar e foi diretamente até o último quarto, sem perceber que nesse corredor havia quatro quartos de casa lado, cada qual com um nome na porta que não se dava para identificar. Sentiu uma magia pulsar de leve ali tenso como força algo maior que não se dava para distinguir.

   Então chegamos até o ponto principal, a porta dos fundos pintada de vermelho, com uma maçaneta prateada e quase desenhada, única. Na porta havia um dito: “E aqui floresceu o amor...” A porta foi aberta lentamente e foi se vista a cena mais linda.

   Em um quarto extremamente grande, proporcional àquela casa enorme, aonde tudo em volta brilhava. O sol atravessava as janela de vidro gigantes junto com cortinas vermelhas como o sangue. Isso deixava o quarto totalmente vermelho e lindo.

  Quando se olhava para o meio, aonde a cama estava, via-se um casal acabando de acordar mas sem vontade de levantar da cama. Eles continuaram deitados olhando um para o outro, lendo os pensamentos um do outro, sorrindo um para o outro. Via-se amor nessas expressões. Via-se felicidade extrema. Estava no auge, no alto, e nada fazia cair. Deram-se bom dia e resolveram ficar ali planejando cada vez mais objetivos, vendo e admirando o que conseguiram concluir.

O momento...


  
  Tudo isso a deixou um tanto que insegura e sem jeito no começo. Te ver a fez sentir-se mal com o próximo, sabe. Aquele que a faz bem hoje.
  
  Mas ela não queria ir embora. Mesmo que essa sensação fosse a maior, ela estava feliz em ver você e ver o lugar em que tanto ela andou por uns 6 meses, se não me engano.
  
  Ela ria dela mesma em pensamentos. Muito boba, se sentia, e otária por ter aceitado se encontrar com você. Ela sente saudades, isso é verdade, mas queria distância e queria falar tudo que sentira a todo esse tempo.
  
  Chorou por dentro.. Afinal ela te ama, lembra? Não acabou. Se ela vai te ver ainda tem algo. Mas você está babaca demais para entender isso.
  
  Mas todo o pensamento dela mudou quando a música começou a tocar e o ambiente aonde ela estava com você foi um ambiente aonde acontecera muitas coisas que para ela foram importantes; são importantes.
  
  Ela simplesmente pediu em mente que tudo voltasse sabe. Que fosse como antes.. Só você e ela. Então ela sentiu um aperto no coração e quando percebeu já estava deitada em seu peito a chorar loucamente.
  
  Ela pensava: “Por que você me deixou?” “Por que você parou de me amar?” “Por que você fez com que a minha vida fosse destruída” “Por que”

  Ela sempre te amou e se não fosse tão orgulhosa ou estivesse com a sua vida dão feliz, teria largado tudo e todos e voltado para você...
  “Teríamos um destino perfeito da nossa maneira, sabia?” Ela pensou mas não quis dizer, seria inútil.
  
  E sim ela concordou com você quando você disse: “Nós dois juntos é melhor” Mas na verdade seria melhor.
  Aquele momento foi o auge para ela saber que ainda te ama, mas agora é tarde, não é? Agora a meta é outra, o sonho é outro... O futuro é outro.

(To: ParedeHarper)

Meu Futuro...



O que você não sabe é que eu quero um futuro assim.
Aonde nós dormimos juntos todas as noites num quarto enorme dentro de uma casa enorme.

E antes de deitarmos que coloquemos nossos filhos para dormir.
Um a um... Com músicas ou histórias de nossas vidas ou algo que possamos ler para eles.

Depois deitaremos e eu repousarei minha cabeça em seu peito.
Fecharei os olhos e direi que tudo aquilo é o que eu sempre quis.
Dormiremos a noite toda e com certeza não sonharemos.
Não precisaremos mais de sonhos ou desejos. Teremos tudo o que sempre 
sonhamos ali, certo?

E de manhã acordaremos juntos ou você me acordará com beijos ou vice-e-versa. E então faremos um café da manhã para que sete crianças vão felizes para a escola.
Eu irei te abraçar e sorrir. Direi que te amo e que tudo aquilo é graças á 
você.

Mas isso só vai acontecer se for ao seu lado.
Se for com você.
Mas se no decorrer da vida você me deixar não quero nunca mais pensar nisso novamente.
Ninguém nunca mais me fará pensar nisso...

Mas enquanto o nosso destino estiver entrelaçado eu quero você por toda uma vida.
Não é que eu esteja fazendo planos.
É que eu simplesmente não vejo mais minha vida sem você.

Uma Cena...





 - Um quarto branco e vermelho que transmite paz e amor a quem ali dorme. Suas janelas enormes com cortinas que se espalham por toda a parede. Tudo em volta era perfeito... 
   Mas a cena principal estava um uma cama extremamente grande que era envolvida com lençóis de seda brancos e avermelhados. E embaixo desses lençóis havia três pessoas... 
   De um lado um homem alto e moreno de pele escurecida. Olhos pequenos e brilhantes. Com um sorriso que demonstrava satisfação e vontade. Do outro lado uma mulher de cachos avermelhados e pele branca queimada de sol. Seus olhos eram enormes e cintilantes. E seu sorriso ameno era de felicidade e de desejo. 
   No meio, entre os dois, havia um pequeno anjo de aproximadamente uns cinco anos de idade. Uma menina de pela tão branca que chegava a brilhar... Cabelos com cachos em um castanho quase loiro que não passava de seus ombros. 
   Um olhar fechado, pois dormia feito um anjo. Mas sorria e seu sorriso era de uma criança feliz. Sonhava e eles sabiam disso. Então ela abre os olhinhos e olha para os dois ao seu lado. 
  Estende o braço e diz: “Bom dia papai e mamãe”

Profundos e transbordando...




E ela estava deitada no sofá como sempre
E na sua TV passava um filme não muito bom
Mas de qualquer forma ela não dava muita atenção.
Sua atenção estava voltada aos seus pensamentos
Pensamentos que a deixavam com uma sensação forte...
A sensação de saudade e vontade transbordava em seu corpo.
Ela mexia o celular toda hora
Precisava continuar conversando com ele.
Mesmo com sono, pensar nele era melhor que dormir.
“Nada de ignorar”, ela disse
Queria ele ali perto
Mesmo que fosse para ficar abraçada com ele
Sem dizer nada, e conversar apenas com olhares.
Ela desejava isso.
Porque tudo que precisava estava há alguns metros da sua casa.
Ainda estava longe.
Mas seus pensamentos faziam com que essa saudade diminuísse.
Ou não, talvez fizesse com que toda essa vontade dele aumentasse.
Porque ela sabe que tudo o que ela precisa tem um nome.
É seu mundo. Seu guia. Sua vida. Seu amor.
Um suspiro.
Ah, ele foi dormir... Ela foi também, afinal, essa noite eles iriam se encontrar.
Em sonhos, é claro.

Céu Estrelado...




“- E hoje nada mais acontece do que um céu estrelado nesse primeiro dia de ano. Um momento único e perfeito demais para ser esquecido.

- Então eu lembrei o quanto você gosta dos astros e suas constelações e o quanto me ensinas sobre tais momentos perfeitos.

- E por isso nessa noite de céu estrelado, vento gelado e escuridão eminente, olhei para o céu e desejei você aqui para me abraçar e observar junto a mim essa escuridão estelar.

-  Mas tem essa distância que não deixa, então o meu desejo fica só em pensar em você, te desejar uma boa noite e pedir aos anjos do céu, nessa noite iluminada de estrelas, que você, como o céu do meu mundo, sonhe comigo mais uma noite.”